17 de jul de 2015

Artigo - O plano de governo perfeito

(Francesco Costa)


Vejo gente caçando “pelo em ovo” quando o assunto é transformar o país.
Eleitores com “falsos moralismos” se opondo à corrupção; políticos com belos discursos, cheios de dados técnicos e fórmulas mágicas; candidatos pagando uma “nota preta” para ter um plano de governo (verdadeiras promessas requentadas) que agrade aos eleitores e os dê melhor pontuação nas pesquisas, quase sempre, inverídicas.
Outros querendo defender o indefensável sistema político. Procurando culpados e transferindo a culpa desse para aquele grupo político.
Só firulas.
O plano de governo para elevar o Brasil à Nação de primeiro mundo, lugar digno e seguro para se viver foi criado em 19 de novembro de 1889.
Isso mesmo.
Naquela data foi criada a Bandeira Nacional que está exposta em repartições públicas. Ela traz a inscrição "Ordem e Progresso".
É uma forma abreviada do lema político positivista: o amor por princípio e a ordem por base; o progresso por fim.
Mas o povo brasileiro parece não ter grande simpatia pela ordem, não é mesmo?
Fato notado em coisas tão simples que apenas o “raro bom senso” resolveria, mas para tal é necessário se criar leis e ainda gastar uma grana pagando fiscais para fazer cumprí-las; e outros tantos para fiscalizar os primeiros que corriqueiramente corromperão,  permitindo que a “tal lei” seja burlada mediante pagamento.
Engraçado isso né?!
Posso citar como exemplo o horário em que é permitido o uso de som, com um volume “um pouco mais elevado”. Mas, se o vizinho tivesse o “raro bom senso” , nem precisaria ter legislado sobre isso. Conhecendo seus vizinhos é possível saber que alguns trabalharam no período noturno e agora em plena 9h precisam dormir; outro que tem um recém-nascido ou um idoso em casa; outro que está estudando para um concurso e precisa de silêncio; e mesmo não sabendo muito sobre eles, é natural imaginar que em um conglomerado de casas é muito natural que se tenha, em qualquer vizinhança, pessoas nas condições citadas. O “raro bom senso” vale também para não estacionar na garagem alheia.
Mas voltando a escrever sobre Plano de Governo, não adianta quebrar cabeça com o crescimento de um país sem trazer primeiro a ordem. Não adianta o cidadão exigir ordem na Câmara de Vereadores de seu município se ele não consegue botar ordem em sua casa; exigir que o vereador não pegue dinheiro ou outros benefícios do prefeito se ele suborna policiais e fiscais; não adianta culpar os políticos se o eleitor se cala quando o recurso desviado o beneficia diretamente; se apoia ou vota no candidato ignorando a coletividade e priorizando o individual.
Comece por você a mudança que espera. Mire na Bandeira e acredite: sem Ordem, o Progresso não passa de Utopia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário