19 de jul de 2015

Artigo - Necessário se faz punir os homens


(Francesco Costa)

Tenho visto pessoas contra a redução da maioridade penal. Mas não são tantas assim. Poucas, aliás. Maioria deles idealistas, integrantes de grupos que vivem a “teoria de uma causa”.
Mesmo sendo poucas faço questão de perguntar a elas sobre o histórico de violência sofrida pelos familiares mais próximos e se foi provocada por uma pessoa menor de idade. Aí pergunto:
·         Sua vó alguma vez, ao sair do banco, após receber o dinheiro da aposentadoria já foi assaltada por um assaltante de 16 anos?
·         Sua esposa já foi violentada por um garoto de 17 anos?
·         Sua mãe foi atropelada por um condutor menor de idade?
·         Seu irmão foi assassinado por um assaltante de 14 anos?
·         Sua casa já foi arrombada por um menor que aproveitou para estuprar sua filha de 7 anos e levou o que pode de dinheiro?
Todas as respostas são negativas. Eles não sabem o que é ser ou ter um ente querido agredido por um menor infrator. Nunca viram um parente ser condenado a viver o resto da vida em uma cadeira de rodas por ter sido vitimado com um tiro disparado por um menor durante um assalto. Nunca viveram o terror diante de uma arma de fogo nas mãos de um menor desequilibrado tomado pelo vício do crack.
Não sabem. Não sabem e nem querem saber a dor de uma perda enquanto o menor infrator continua a andar tranquilamente pelas ruas fazendo mais vítimas com pleno amparo das leis.
Eu não tive, e espero não ter nenhum caso desses em minha família, e não preciso ter para entender que é preciso sim, punir com rigor qualquer e quem quer que seja o agressor.
Aí alguns idealistas teóricos me vêm com uma conversa que é preciso construir escolas e não presídios. Infelizmente é preciso construir as duas coisas.
Presídios para as crianças e jovens que já estão envolvidas com a criminalidade; e escolas para as que estão querendo um futuro melhor.
Mas de nada adianta levar à escola quem só quer atrapalhar os que querem aprender e agredir professores. Também de nada adianta construir prédios e recheá-los de materiais didáticos dando-lhes o nome de ESCOLA. É preciso construir mais que escolas. É preciso construir CENTROS DE ENSINOS e supri-los de professores qualificados e com autoridade para tal.
Para combater a criminalidade não adianta apenas construir prédios cercados de grades e treinar homens para manter neles os criminosos. É preciso construir mais que presídios. É preciso construir CENTROS DE RECUPERAÇÃO e neles implantar técnicas para reciclar os dejetos sociais e devolvê-los ao convívio e ao trabalho.

Um dia os presídios, hoje construídos e lotados, poderão ser museus, retratos que ilustrarão a história hoje vivida. Mas enquanto isso não chega, é preciso sim construir escolas para de forma preventiva combater a violência; e construir presídios para punir os que já estão na delinquência. Pois já que não educamos as crianças, necessário se faz punir os homens.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário