26 de nov de 2014

Moradores do Linhão ocupam Câmara Municipal




A busca por uma área para morar é o anseio da população
 






Na manhã de hoje, 26, quarta-feira, moradores da área da ocupação conhecida como “Linhão”, área anexa ao Bairro Ipiranga, interditaram por várias horas a Avenida E, em frente à Câmara Municipal de Parauapebas, no bairro Beira Rio II. Porém convencidos pela Polícia Militar os manifestantes desocuparam a via e continuaram o protesto nas dependências da Câmara Municipal durante toda a manhã.
Marcelo da Silva Cruz, diretor da Associação dos Bairros Tropical, Ipiranga e Ocupação do Linhão, concedeu entrevista à nossa equipe de reportagem justificando que o motivo do ato era comover o prefeito de fazer o seu dever. “Mesmo assim ele não compareceu, nem ele nem a dona Maquivalda”, lamentou Marcelo, explicando que o que chama de dever naquele momento é as obrigações com a comunidade.
Marcelo conta ainda que a Vale, dona da área ocupada, está esperando apenas o prefeito, Valmir Mariano, para entrar em uma negociação para remanejar a população que mora debaixo do linhão. Ele conta que após reuniões realizadas entre os moradores, Vale e Secretaria Municipal de Habitação (SEHAB), ocorrida no auditório da ACIP (Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas), nada foi cumprido; ele conta que, segundo a Vale, só era necessária uma proposta. “E hoje nós trouxemos a proposta do povo para a mineradora, já que o prefeito não quer cumprir”, conta ele, detalhado que na proposta os ocupantes do Linhão pedem que a Vale compre a área e a prefeitura entre com as obras de pavimentação; quanto às casas ele diz que os moradores construíram seus barracos por conta própria.
“O prefeito nunca se manifestou, nem na época da ocupação da área nem nas reuniões com a Vale. Ele pensa que por ser prefeito, não precisa conversar com ninguém”, desabafou Marcelo, afirmando que para a reunião de hoje ele foi convidado, mas não mandou se quer representante do gabinete, tendo comparecido apenas representante da SEHAB e a Vale, que em reunião recebeu a proposta e pediu até quinta-feira, 4 de dezembro, para neste prazo, conforme acordo entre a mineradora e o poder executivo, dar resposta ao povo.
Sobre a área – A área trata-se de faixa anexa ao bairro Ipiranga, por onde passa o Linhão de Energia Elétrica que atende a Vale; ali moram 495 famílias, cerca de 2 mil pessoas, que continuam na expectativa dependendo da decisão da Vale e Prefeitura de Parauapebas.
       


Nenhum comentário:

Postar um comentário