6 de nov de 2013

OPORTUNIDADES NA AQUISIÇÃO DA CASA PRÓPRIA PROVOCA CRISE IMOBILIÁRIA

Os valores das locações de casas e apartamentos caíram em média 40% nos últimos 90 dias.  
 Apartamentos residenciais e comerciais a preço baixo e mesmo assim estão sem serem alugados
 Cidade cresce 18% ao ano

Crise no mercado imobiliário de Parauapebas é a maior dos últimos cinco anos, diz corretores imobiliários

Situada a cerca de 700 quilômetros de Belém e com uma arrecadação mensal de 70 milhões, Parauapebas é a cidade que mais cresce no Brasil, 18% ao ano, com isso o surgimento de áreas habitacionais com planos facilitados e infraestrutura de qualidade tem viabilizado o acesso de muitas famílias na aquisição da casa própria.  Para Wanlaydson Souza,  representante comercial, as facilidades na aquisição da casa própria tem afetado diretamente o setor imobiliário. No na Cidade jardim já são 42 novas mil famílias morando em um local que dispõem de água, energia, asfalta e iluminação pública. “Esperamos fechar esse ano com mais cinco mil novas famílias, uma vez que com apenas mil reais de entrada qualquer pessoa já pode adquirir o seu lote e pagar parcelas mensais a partir de trezentos reais mês, e já podendo construir sua casa própria”, disse o corretor bastante animado. Segundo o setor imobiliário de Parauapebas a procura por apartamentos comerciais, residências e casas caíram em torno de 40% nos últimos três anos. O que se vê nos centros da cidade são placas e mais placas de aluga-se.  Muita oferta para pouco pretendente e olha que os valores dos imóveis para locações caíram em média 50% e mesmo assim, a crise ameaça o setor que anda de mal para pior, como explica esse corretor de imóveis. Rocha da Silva que é um dos mais antigos corretores de Parauapebas, fala que esse é um momento de baixa no setor e o jeito e ofertar oportunidades de locações com alugueis baratos, com descontos variáveis de 30 a 50%. “Mesmo com esses descontos as locações estão caindo muito, nos apertando o cinto, esperamos em meados de março de 2014, a situação volte a normalizar. Hoje nos temos em média 20  imobiliárias de imóveis em Parauapebas e todas estão na mesma situação”, disse Rocha.  O Ronaldo Almeida, 57 anos, fala que hoje em dia é muito mais negócio investir na casa própria do que desembolsar valores altos em alugueis, mas também faz uma observação em relação aos juros que são reajustados a cada ano. Quem paga 320 reais de aluguel por mês, por exemplo, consegue comprar uma casa de 48 mil reais em apenas quinze anos. Diante da situação os profissionais da categoria torcem para que com a chegada do dinheiro do décimo terceiro salário, a situação volte a melhorar e os corretores respirarem mais aliviados. (Reportagem: Antônio Marcos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário