1 de fev de 2013

SEGUP realiza audiência pública



O encontro reuniu autoridades em segurança pública
que debateram o assunto em Parauapebas

“O governo estadual sempre foi muito ausente de nossa região, esperamos que eventos como este atraia para nós sua atenção”, disse Marcelo Catalão, presidente do SIPRODUZ, ao participar durante toda a quinta-feira, 31, da Audiência Pública realizada pela SEGUP (Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa social do Estado do Pará).
O evento teve como objetivo, segundo os organizadores, ouvir entidades, autoridades em segurança pública e população quanto as principais deficiências na segurança e medidas emergenciais necessárias para mitigar os problemas e buscar soluções de combate a violência nos municípios da região Carajás.
Foi notada, no evento, a ausência da ALEPA (Assembleia Legislativa do Pará) que não mandou representante e nem justificativa.
O deputado federal, Wandenkolk Gonçalves (PSDB/PA), representou o Congresso Nacional, e admitiu a ausência do Estado o que, segundo ele, se faz necessário para traçar caminhos para o desenvolvimento. “Vejo este encontro com muita esperança. Entendo como reflexo da consulta plebiscitária”, disse Wandenkolk, explicando que o governo entendendo a vontade popular decidiu priorizar uma região que é a alavanca da sustentação econômica do Estado.
O deputado deu conta de que serão feitos três importantes fóruns, o primeiro sobre segurança pública; o outro sobre educação e ainda outro sobre saúde.
O Comandante do 23º Batalhão da Policia Militar, Coronel Mauro Sérgio, detalhou que caberá a partir de agora à Polícia Militar reunir com a comunidade no intuito de se criar um planejamento estratégico de ações que resultará em um modelo de segurança pública no Estado a partir da característica de cada município e suas peculiaridades.
Questionado sobre se haverá mudanças na postura da PM no município ele respondeu positivamente. “É esta parceria que tem precisa existir, e a proposta da polícia militar é servir a comunidade, e como servir alguém sem ouvi-lo?”, ponderou Mauro Sérgio, citando a previsão de mais 120 policiais militares o que, ainda segundo ele, será usado em novas políticas de segurança garantindo assim a segurança da sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário