9 de fev de 2013

Abertura do carnaval decepcionou foliões em Parauapebas



A insalubridade do local afugentou o público 












e deixou donos de barracas no prejuízo

Elivan da Conceição de Sousa, dono de barraca

Florêncio Gomes da Silva, dono de barraca

Júlio César Soares de Araújo, dono de barraca


Como já era previsto o local escolhido para a realização do Carnaval deste ano em Parauapebas não apresenta as mínimas condições para receber o público que nos nãos anteriores tem superado o número de 30 mil foliões por noite.
Trata-se de uma área, situada às margens da Rodovia PA 275, próximo ao viaduto que promove o cruzamento entre esta com a Rodovia PA 160; local sem pavimentação asfáltica e sem nenhuma obra de urbanização.
A abertura da festa, ocorrida ontem, 8, sexta-feira, foi um fiasco de acordo com qualificação dada pelos donos de barracas que exploram o comércio de bebidas e de alimentos prontos.
Um deles disse ter vendido R$ 0,50 de balinha; outro apenas três latas de cerveja, e outro ainda que garante não ter vendido nada. O comércio no local foi emperrado, segundo eles, pela lama provocada no local por força da chuva que caiu ontem chegando a até mesmo alagar algumas barracas.
Elivan da Conceição de Sousa, dono de barraca no local do carnaval, disse que desde o anúncio da mudança do local da festa previa que não daria certo. “Aqui  já teve outros eventos e o resultado não foi positivo”, lembrou Elivan, citando que existem outros locais e uma vez havendo o interesse de transferir a festa do local tradicional que se preparasse um local adequado.
A grande e esperada abertura do carnaval foi qualificada por ele como “uma negação, a pior abertura de carnaval ocorrida em Parauapebas”. Ele conta que a presença de pessoas foi pequena no local devido a insatisfação da transferência e a reação do publico foi abandonar a festa com a presença da lama formada pela chuva.
Florêncio Gomes da Silva, é o outro dono de barraca que diz ter amargado prejuízo não vendendo nada durante a abertura da festa de Momo. Sua barraca foi alagada pela água da chuva e não lhe sobrou outra alternativa  a não ser abandonar o local.
“Minha expectativa é mudar a barraca de lugar, mas sei que não será permitido. Vendi apenas um maço com 20 unidades de cigarro”, lamentou Florêncio. 
Júlio César Soares de Araújo é outro que apresentou reclamações e disse que não criou expectativas sobre este carnaval. “Aqui é impossível se praticar o comércio muito menos fazer a folia”, lamentou Júlio.
Explicação – Em nota, a Secult (Secretaria Municipal de Cultura), disse que as medidas necessárias estão sendo adotas para melhorar a infraestrutura da arena, onde ocorrerá os shows  da programação de carnaval. Máquinas já estão no local para facilitar o escoamento da água, evitando assim que ela fique empossada.  Vale salientar que a Secult montou uma força tarefa para que na noite de hoje, 09, os foliões possam aproveitar a festividades com tranqulidade.
    

Nenhum comentário:

Postar um comentário