13 de nov de 2012

Parauapebas poderá ser transformado em grande condomínio fechado e monitorado



Questionado sobre o que falta para se oferecer melhor estrutura para a segurança publica, o delegado Antonio Miranda, diretor da 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, cita investimentos em tecnologia, deixando a visão da polícia de rua e trabalhando com inteligência. Ainda na opinião do delegado Antonio Miranda, é preciso dar resposta à sociedade antes que o crime ocorra e não prender o infrator só após o crime cometido; para que isto seja possível ele diz ser preciso investir em prevenção.
As polícias de Parauapebas estarão entrando na era da tecnologia após instalar o monitoramento na cidade. A cidade contará com 92 câmeras de vigilância 24 horas, que serão distribuídas nos principais pontos da cidade nas vias de ligação da cidade; de acesso às agências bancárias, prédios públicos ou as vias de maior movimento. A novidade, na opinião do delegado, reduzirá o índice de criminalidade.
Outra proposta, apresentada pela Polícia Civil, é a criação de três barreiras, a exemplo da que já existe na entrada da Flonaca (Floresta Nacional de Carajás), onde o cidadão é identificado, fotografado e filmado. De acordo com a proposta, Parauapebas se transformaria em “um grande condomínio fechado e monitorado”, com barreiras nas saídas para Curionópolis, Canaã dos Carajás e outra para a Zona Rural. “Se tivermos uma cidade monitorada será bem melhor para todo mundo; será de fácil identificação os automóveis roubados e os elementos não conseguirão entrar na cidade, pois o veículo será identificado na entrada da cidade; e se ocorrer um assalto na cidade é só fechar as barreiras e os bandidos se sentirão incapazes de escapar”, imagina Miranda.
Mesmo sem o apoio tecnológico, Miranda garante que a policia tem feito seus esforços para manter os índices de furtos e crimes dentro dos parâmetros, crescendo proporcionalmente no ritmo da cidade. “O crime em Parauapebas é sazonal; tem época que tem muitas ondas de assaltos e aí o indivíduo é preso e percebe-se o retorno do crescimento ou quando este é solto ou por se formar novo grupo”, disse Miranda, contando que o crime que tem muitas vertentes sendo uma delas o uso de drogas e ainda o homicídio provocado pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas; ele citou ainda o roubo de eletrônicos, tendo como mai visado aparelhos de celular, not book e câmera digital, coisas bem fáceis de carregar e trocar por algo ou drogas.  




Nenhum comentário:

Postar um comentário